Exportações de têxteis e vestuário para fora da europa em recuperação

Exportações de têxteis e vestuário para fora da europa em recuperação

1280 853 TEXTILOBO

Conhecidos os dados do comércio internacional, divulgados hoje pelo INE, a ATP apurou os seguintes resultados para os têxteis e vestuário, relativos aos primeiros dois meses do ano de 2017:

Crescimento de 3% das exportações totais de têxteis e vestuário, alcançando um valor de 869 milhões de euros.

Maior dinamismo por parte das exportações de matérias-têxteis, as quais alcançaram um crescimento de cerca de 6% (as exportações de vestuário registaram um crescimento de 2% e as de têxteis-lar e outros artigos têxteis confecionados permaneceram estáveis com um ligeiro crescimento de 0,04%).
Nas exportações de matérias-primas, destaque para os filamentos sintéticos e artificiais, com um aumento de 4,2 milhões de euros nestes dois meses, equivalente a uma taxa de crescimento de 28%; já nas exportações de vestuário, o destaque vai para o vestuário e acessórios em malha, com um acréscimo de quase 7 milhões de euros, equivalente a um crescimento de 2%.

A Alemanha destrona a Espanha (que curiosamente registou uma taxa de crescimento negativa: cerca de 3%) e passa a ser o destino com maior crescimento absoluto (acréscimo de 6,7 milhões de euros; +9%) no período, seguida pelos EUA (aumento de 6,7 milhões de euros; +16%) e pela Holanda (acréscimo de 5 milhões de euros; +15%).

Os destinos não comunitários, neste período, apresentaram maior dinamismo, com um aumento de 13,4 milhões de euros (+11%), em contrapartida dos destinos comunitários que assinalaram um acréscimo de 9 milhões de euros (+1%).

Para além dos EUA, destaque para o crescimento das exportações registado nos seguintes destinos não comunitários: Angola (+1,4 milhões de euros; +30%) – que parece estar a recuperar da queda sofrida nos últimos anos, Canadá (+1,3 milhões de euros; +20%), Brasil (+1,2 milhões de euros; +119%) e Marrocos (+1,2 milhões de euros; +32%).

As importações registaram uma queda de 1% no período, melhorando a taxa de cobertura da balança comercial do setor para 142%, e fixando o saldo em 259 milhões de euros.

in ATP Associação Têxtil e Vestuário de Portugal

EnglishFrançaisDeutschPortuguêsEspañol